::. Clipp - Clínica Lacaniana de Atendimento e Pesquisas em Psicanálise .::
Logo Clipp - Clínica Lacaniana de Atendimento e Pesquisas em Psicanálise

ARTIGOS

06/06/2018 

O Ensino: no instituto , na Escola e a Formação do Analista
Katia Ribeiro Nadeau

Cartel: “ O Ensino da psicanálise no instituto”
+ 1 : Carmen Silvia Cervelatti
Kátia Ribeiro Nadeau, Niraldo de O.Santos
Daniela C.B Affonso, Márcia Barbeito

Este trabalho é produto de um cartel que tem como tema central o ensino e a transmissão da psicanálise.

Partimos do texto “ Proposição( 1967 )......de Lacan , onde recorto aqui o que me interessou :

  1. 1 - “ o analista não se autoriza a não ser ´por si mesmo “, e por alguns outros ( 1973-1974- sem.XXI) , e isto decide sua posição , o que não impede que a Escola garanta que um analista depende de sua formação.

  2. 2 - A formação do analista é permanente , onde a função  analista não se garante em títulos nem nomeações, se garante no saber que lhe é próprio, no desejo que a sustenta, no ato ,na destituição subjetiva que ela implica, na responsabilidade  ética da escuta psicanalítica que lhe compete.

  3. 3 - Como opção em exercer a psicanálise como ofício, ao encarnar a função.

Para compor uma sequência histórica , Lacan funda o departamento de psicanálise na universidade Paris VIII em 1968 , Miller , apoiado por Lacan funda a seção clínica em 1977 e em 1987 Miller funda o instituto do Campo freudiano para desenvolver a tarefa de investigação,pesquisa e dar lugar à psicanálise pelo mundo.

Se a Escola é a instituição psicanalítica ,propriamente dita , com a suposição de saber que a suporta , tende a fechar-se sobre si mesma ao não se confrontar com outro discurso,e  a transmissão de dá no divã , onde entra o instituto ?
Este outro discurso é o instituto que estimula e lhe faz barra.

A partir de 1970 , Lacan nos orienta ; “ O analista ensina com seu corpo ” , do vazio do simbólico à consistência do corpo.

Entre Escola e instituto há vazio e há articulação entre o saber suposto da Escola e o saber exposto do instituto, entre trabalho de transferência e transferência de trabalho.
O ensino da psicanálise se dá no enodamento entre 2 registros : ensino e transmissão, entre o saber e a verdade está o objeto a , onde a interseccção aponta para o corte , e , desta estrutura se extrai o ESTILO ( passe do inominável ), o psicanalista ensina por meio da construção de um estilo, produto da experiência psicanalítica e não pelo acúmulo de informações do estudo da teoria.

Nenhum ensino fala do que é a psicanálise , existe um real em jogo na formação do psicanalista , real essencial e valioso no ensino de Lacan.

Transmissão do saber psicanalítico não é transmitir o que se sabe à quem não sabe. Inclui o gozo, O que posso transmitir com isso ?

É preciso alguém escutando e alguém falando, sem que isso se trate da relação entre dois sujeitos ( não há relação sexual ) .Esta relação com o saber é de outra ordem, é uma maneira diferente de tratar o saber: O que se faz com aquilo  que não se sabe ? Se goza, se faz sintoma , o objeto a é alheio ao sentido, logo há um limite naquilo que é possível falar , onde a função da fala aproxima-se de um real.O que não se fala , pode-se escrever : O sexual , real, é sem fala .

A transmissão não é integral, sempre  sobra um resto e é exatamente esse resto que é necessário ensinar.

O ensino da psicanálise só se dá pela transferência .....“ no começo da psicanálise está a transferência e o psicanalisante”.

Ainda no texto “ Proposição ” Lacan esclarece : “ Nenhum Ensino de psicanálise é possível ”, então , o que se ensina ? Já visando uma articulação pessoal na relação com o saber , um endereçamento à psicanálise . O ensino na Escola temos o UM que faz laço , mas não conjunto , é disjunto. O ensino no instituto comporta um saber exposto , com produção intelectual , pesquisa, etc e promove uma articulação incluindo  o UM com um funcionamento tenso entre o Discurso do Mestre e o Discurso do Analista.

Atualmente a Escola se ocupa mais da transmissão , enquanto o instituto se ocupa mais do ensino , como uma interface do Outro social . Temos como premissa , não cedermos ao Real em jogo na formação, não cedermos ante aos efeitos transferenciais de seu Ensino.

O cartel , favorece a contingência do elo entre Ensino e Saber,  e se distingue pelo produto de cada um.

Como fazer para ensinar o que não se ensina ? Esforço ininterrupto diante do impossível, frente  ao desamparo que se presentifica quando tentamos transformar a experiência analítica em matéria de Ensino. Tudo isso abre caminhos , a cada vez, a cada época é preciso abrir caminhos” ensinando o que a psicanálise lhe ensina”.

 

Bibliografia :
Miller,J.A.  ( 1998 )  Tese sobre o instituto do Campo Freudiano , in  Almanaque, revista do instituto de psicanálise e saúde mental do Minas Gerais – B.H. IPSM-MG
Laurent, E.  Lo impossible de enseñar in Del Édipo a La sexuacion , Buenos Aires, Paidós , 2008
Lacan, Jacques  Ato de fundação in Outros escritos Rio de Janeiro , Jorge Zahar 2003
Lacan, Jacques Proposição de 9 de outubro de 1967 sobre o psicanalista da Escola , Outros Escritos , Rio de Janeiro , Jorge Zahar 2003

 

Designer by Neoware - Criação e Desenvolvimento de Websites e Sistemas - Desafie nossa Criatividade