Logo Clipp - Clínica Lacaniana de Atendimento e Pesquisas em Psicanálise

ARTIGOS

24/09/2019 

WATTPAD E O DEMÔNIO DA MÁFIA: FORMAS DE ESCRITA A RESPEITO DO ÓDIO E O ESTUPRO NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA

Leny Magalhães Mrech

INTRODUÇÃO

A psicanálise e a literatura têm apresentado percursos que se entrelaçam em inúmeros momentos. Freud foi leitor atento aos principais autores de sua época. Lacan encontrou em Joyce uma das formas de ler o sinthoma. Contudo, com o advento da internet, novas formas de escrita têm aparecido.

WATTPAD – ONDE AS HISTÓRIAS CRIAM VIDA

O WATTPAD surgiu em 2006, como um aplicativo que permite compartilhar histórias. O subtítulo do site é onde as histórias criam vida. Uma proposta de vivificar a leitura e a escrita. Em junho de 2009, os downloads superavam cinco milhões no mundo todo. Atualmente, são 70 milhões de leitores.

Este site revela novas formas de escrita, comportando textos que se tornam livros, além de páginas esparsas e materiais inconclusos. Grande parte dos autores são mulheres, estudantes do ensino médio, de graduação e até de pós-graduação, apresentando textos sem revisão, com dificuldades de ortografia, concordância etc

A VIOLÊNCIA NAS ESCRITAS DO WATTPAD

Na amostragem 166 textos foram analisados. Sendo 23 reescritas dos livros de E. L. James e 20 da máfia. Esses últimos eram materiais em que aparecem abuso sexual e mental, mortes e violências de todos os tipos. São autoras da chamada literatura dark. Ou seja, uma literatura voltada para temas mais violentos e estranhos.

As mulheres têm sofrido um aumento da violência familiar. No site da EBP existe um observatório específico – A violência e as mulheres na América Latina –que tem aprofundado muitas dessas discussões. Nele, foi possível identificar alguns aspectos de mudanças na forma como tem sido tratada a violência. O próprio conceito de violência  deixou de ser considerado uma prerrogativa de autoridades e de instituições, para se tornar um fenômeno considerado intolerável.

Nos textos sobre a Máfia examinados, esses aspectos chamam a atenção. Todos eles podem se encaixar no eixo 1 do  ódio, a saber: sua relação com o amor, com a violência, com a crueldade, com a culpa e os gozos. Também é possível localizar temas mais específicos, como o de estupro.

O DEMÔNIO DA MÁFIA – UMA ESCRITA QUE ABORDA O ÓDIO, O AMOR E O ESTUPRO

Para exemplificar esses processos sintomáticos, escolhi o texto O Demônio da Máfia, cuja autora é Jacqueline Motta.

Desde o início, a autora comenta que a sua obra visa identificar os abusos que as mulheres sofrem na cultura. A maior parte dos capítulos do seu texto foram retirados do site pela autora por temer a exclusão total do texto, deixando os capítulos finais e anunciando que vai publicar seu livro completo no Amazon Books.

O impacto desse texto revela que a autora é acompanhada por uma infinidade de leitoras. Os seus personagens são bem delineados transformando-se quase em estereótipos.

Riccardo é extremamente viril, lindo e com um corpo perfeito e atordoante. Foi criado para ser o novo Capo pelo seu pai que era o Capo dos Capos. Muito cedo, ainda na infância ele teve que matar. Sofreu muitos abusos pelo pai a ponto de dizer:

Sou um maldito Demônio, que vaga por anos escuridão causando maldades. Não há nenhum resquício de bondade em mim. Eu morri depois de incontáveis torturas que sofri há muito tempo. Eu perdi tudo. O que você vê na frente, é apenas um corpo vazio, deixado aqui na terra para cumprir compromissos. Sou uma enigmática transfiguração. (Capítulo 50).

Laura, uma jovem linda e ingênua, acaba caindo nas garras da máfia e de Riccardo, com quem se casa. Ela luta para manter a sua dignidade, acreditando que, algum dia ele possa amá-la e mudar.

No capítulo 49, ela desaba quando ele fala que vai se casar com outra e retirar os gêmeos recém-nascidos dela. Em seguida, ela tenta se matar. Riccardo entra em pânico, dizendo que a ama. Ele promete que não vai mais fazer mal a ela.

Isso não faz de mim um bom samaritano. Muito menos apaga tudo de ruim que eu fiz. Tratá-la melhor não significa que vamos viver felizes para sempre. Como homem feito, decidi protegê-la, estou dando minha palavra.

ASPECTOS QUE REVELAM O ÓDIO, O AMOR, A CRUELDADE, A CULPA E OS GOZOS

Há uma banalização da violência da máfia na vida dos personagens que extrapola a vida a dois. A máfia é a família a quem todos têm que se submeter. Ela vem em primeiro lugar e nunca se pode sair dela.

As regras na máfia são extremamente rígidas e violentas, pautadas em um modelo patriarcal. O Dom – e os seus capos - deliberam sobre a vida e a morte. A família está submetida a ele. Riccardo esbarra em Laura que não se submete. O que o atrai e o faz rejeitá-la ao mesmo tempo.

Na máfia, não se toleram traições. Elas são punidas com a morte. Pode-se dizer que o ódio ali aparece como um rechaço, uma expulsão do Outro. Na máfia, só se odeia, o amor fica de fora.
O que se odeia no Outro é sua maneira particular de gozar. A máfia se coloca como aquela onde só é possível gozar a seu modo.

Riccardo odeia o modo de gozar de Laura porque não é o dele. Ele tem claro que não irá mudar o seu modo de gozar. O ódio que ele apresenta quer a humilhação, a derrota do Outro.

O contraponto Riccardo/Laura revela o contraponto entre o ódio e o amor. Riccardo é tomado por algo antes do amor, o ódio. Laura ama com todas as culpas pelo seu gozo com um marido que ela adora sexualmente. O ódio revela que o sujeito odeia o ser do Outro. Por sua vez, o amor aspira ao desenvolvimento do ser do Outro. Laura aposta que é possível reverter o ódio em amor. Luta para consegui-lo. Uma resposta que o texto não fornece porque ainda faltam muitos capítulos. Sem esquecer que não há relação sexual.

REFERÊNCIAS

EBP – Observatório A Violência e as Mulheres na América Latina:
http://observatório.violência.com.br 

EIXO 1 DO ÓDIO – sua relação com o amor, com a violência, com a crueldade, com a culpa e os gozos.


Membro da Escola Brasileira de Psicanálise e da Associação Mundial de Psicanálise. Membro da CLIPP.

 

Designer by Neoware - Criação e Desenvolvimento de Websites e Sistemas - Desafie nossa Criatividade