Logo Clipp - Clínica Lacaniana de Atendimento e Pesquisas em Psicanálise

NÚCLEOS DE PESQUISA

Local das atividades dos Núcleos de Pesquisas da CLIPP: Rua Cardoso de Almeida, 60, Conj. 111. 

Informações: (11) 3864.7023 ou psicanalise.clipp@terra.com.br

2019 – 2º semestre

BIOPOLÍTICA E O CORPO NO ÚLTIMO ENSINO DE LACAN

Instagram: @zeminian

“A biopolítica submete o corpo a golpes de imagens e de slogans, mas este sempre escapa às identificações prontas para revesti-lo. O gozo o transborda, o surpreende, o traumatiza e a psicanálise o acolhe pelo que fala desse encontro traumático” (É. Laurent, 2016)

Na época do Outro que não existe, do império das tecnociências e da virtualidade das relações, quais os efeitos das novas formas de disciplinarização dos corpos e do empuxo à múltiplas vias de gozo?

Neste ano, seguimos nossa pesquisa em torno do estatuto do corpo no último ensino de Lacan. Para tanto, optamos pelo trabalho de leitura e disciplina do comentário das elaborações de Éric Laurent em seu curso ‘O avesso da biopolítica: uma escrita para o gozo’. O trabalho sobre o texto é entremeado pela discussão de casos clínicos e projetos de pesquisa.

Coordenação
Eliane Costa Dias e Niraldo de Oliveira Santos


Frequência: Terça-feira (quinzenal), de 20h30 às 22h00
Início: 13 de Agosto de 2019
Inscrição: mediante contato com a coordenação

Referência principal:
Laurent, É. O avesso da biopolítica. Uma escrita para o gozo. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2006.

Complementar:
Lacan, J. Seminário livro 23: O Sinthoma (1975-76). Rio de Janeiro: Zahar, 2007.
_______ Joyce, o sintoma. In: Outros Escritos. Rio de Janeiro: Zahar, 2003, p. 560-566. Laurent, É. O avesso da biopolítica. Uma escrita para o gozo. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2006.
_______ O traumatismo do final da política e das identidades. Opção Lacaniana online, ano 9, nº 25 e 26, março e julho de 2018.
Miller, J-A. Todo el mundo es loco. (Los cursos psicoanalíticos de Jacques-Alain Miller 2007-2008). Buenos Aires: Paidós, 2015.
________ Perspectivas do seminário 23 de Lacan. O Sinthoma. Rio de Janeiro: Zahar, 2009.
________ Ler um sintoma (2008). Disponível in:
http://ampblog2006.blogspot.com.br/2011/08/jacques-alain-miller-ler-umsintoma.html
Philippi, Jeanine N., A imitação estética daquilo que já se anuncia como desastre...
(Conferência proferida durante evento da EBP-SC em 2018). Texto cedido pela autora.

 

NÚCLEO DE PESQUISA E LEITURA SOBRE APRESENTAÇÃO DE PACIENTES E PSICOSE 2019

“Para que a psicose se desencadeie, é preciso que o Nome-do-Pai,  verworfen, foracluído, isto é, jamais advindo no lugar do Outro, seja ali invocado em oposição simbólica ao sujeito...” In: Escritos, p.584.
Temos aqui a primeira formalização teórica da psicose desencadeada.
Lacan constrói uma clínica binária, descontinuísta, baseada na presença (Behajung) ou ausência (Verwerfung) do significante Nome-do-Pai.

Partindo da teoria da foraclusão do Nome-do-Pai, podemos acompanhar o desenvolvimento feito por Lacan no texto “De uma questão preliminar a todo tratamento possível da psicose” (1957-1958), o que acontece depois do desencadeamento e o que pensar nas possíveis estabilizações frente à invasão do grande Outro. A primeira formalização a respeito da psicose em Lacan tem como paradigma o caso Schreber.
Nesse semestre, o Núcleo de AP pretende se debruçar na leitura do texto “De uma questão preliminar a todo tratamento possível da psicose”, (dez. 1957- jan.1958).

O Núcleo de Pesquisa e Leitura sobre Apresentação de Pacientes e Psicose continua a marcar, com seu ritmo quinzenal, um caminho feito de um constante debruçar sobre a leitura e a pesquisa em psicanálise, na esperança de que questões sobre as Psicoses possam ser trabalhadas.

Os eixos temáticos em torno dos quais giram os textos e a pesquisa são a foraclusão, o desencadeamento, os esquemas R e I, a clínica binária, a clínica atual.

Bem vindos!
Marizilda Paulino
Perpétua Medrado

As reuniões do Núcleo de Pesquisa e Leitura sobre Apresentação de Pacientes e Psicose acontecem às sextas-feiras, das 16:00 às 17:30 na sede da CLIPP, à Rua Cardoso de Almeida, nº 60, conj. 113.
Para participar não é necessário ter frequentado o 1º semestre.
Datas: Agosto: 02, 16 e 30; Setembro: 27; Outubro: 04 e 18; Novembro: 01 e 29.

 

NÚCLEO DE PSICANÁLISE E FILOSOFIA - 2° SEMESTRE/2019

Tema: A FILOSOFIA NOS ESCRITOS DE LACAN
UM ESTUDO DOS CONCEITOS VEICULADOS NOS ESCRITOS.

A filosofia, desde seus primórdios, buscou entender as condições de possibilidade do conhecimento humano, vivenciou o paulatino desprendimento de ramos do saber; das matemáticas à psicologia e, recentemente, da psicanálise. No entanto, a filosofia parece sempre servir como epistemologia de base, garantindo o raciocínio lógico necessário ao desenvolvimento de conceitos específicos a cada ciência.

Faz-se necessário considerar que psicanálise e filosofia são discursos diferentes, e apresentam uma tensão de origem: psicanálise se constrói com a descoberta do inconsciente, ao passo que filosofia está associada à ideia da vida psíquica racional e consciente.

A relação de Freud com a filosofia é polêmica, aparecendo como desejo e recusa ao mesmo tempo, mas pode-se dizer que há quase fascinação em Lacan; ele recorre constantemente a filósofos e suas teorias, como apoio a conceitos psicanalíticos desenvolvidos durante uma vida de prática analítica. Há várias tentativas de sua parte em dialogar com a filosofia, através de contemporâneos como Sartre, Merleau-Ponty, Kojève, Hyppolitte, Ricoeur, os (então jovens) filósofos da “Escola Normal Superior”, além de, naturalmente, filósofos clássicos.

A proposta do Núcleo de Filosofia neste semestre é examinar conceitos psicanalíticos veiculados nos Escritos de Lacan, em sua relação com diferentes filósofos e suas teorias.
Iniciaremos com o diálogo de Lacan com Platão, trabalhando conceitos relacionados à fantasia, agalma, objeto a.

COORDENAÇÃO

LOCAL: Rua Cardoso de Almeida, 60 – conjunto 111.
DATA DE INÍCIO: 19/8/2019 – quinzenal, segundas-feiras.
HORÁRIO: 18h30.
COORDENAÇÃO: M. Bernadette S. S. Pitteri e Paula C.V. Caio de Carvalho.
BIBLIOGRAFIA: Lacan, J. Escritos; Platão, O Banquete.

Observação: A Bibliografia completa será fornecida no decorrer dos encontros

2019 – 1º semestre

 

NÚCLEO DE PESQUISA EM PSICANÁLISE E FILOSOFIA – 2019 – 1º SEMESTRE

O GOVERNO DOS HOMENS E O IMPOSSÍVEL DE GOVERNAR
O JOGO DAS PAIXÕES NA DEMOCRACIA

“Não digo ‘a política é o inconsciente’ mas simplesmente ‘o inconsciente é a política’”.

Lacan, em “A lógica da fantasia”, define o inconsciente pela política. Tomando este mote como pano de fundo para a pesquisa do Núcleo de Psicanálise e Filosofia neste semestre, propomos estudar o governo dos homens e a crise onipresente em tais governos, questão que engloba inconsciente e política. Abordaremos, em particular, a democracia e seus percalços em nosso mundo globalizado.
Política e inconsciente, tema enraizado no ensino de Lacan desde seus primórdios, segundo Miller, radicaliza a ideia do Witz (chiste) como processo social, pois é assim que Freud justifica a articulação do sujeito do inconsciente ao Outro, a estrutura de linguagem que nos atravessa. Sendo o inconsciente estruturado como uma linguagem, o “discurso do Outro”, implica no laço social e permite a transferência e a experiência da Psicanálise. Mais ainda, o inconsciente neste sentido é transindividual, arrancado de uma esfera solipsista e colocado na pólis. Não se trata do inconsciente real, de final de análise, mas do inconsciente com o qual lidam os povos e seus governos. É a este inconsciente que nos propomos interrogar.

DATAS
1º semestre de 2019: 12/3 - 26/03 - 9/4 - 23/4 - 7/5 - 21/5 - 4/6 - 18/6
HORÁRIO
Das 12h00 às 13h30
LOCAL
CLIPP – Rua Cardoso de Almeida, 60 – conjunto 113.
COORDENAÇÃO:
M. Bernadette S. de S. Pitteri e Paula Caio

INFORMAÇÕES: 38610013 (falar com Goreth)

 

 

Apresentação do Núcleo de Apresentação de Paciente e Psicose 2019

“Para que a psicose se desencadeie, é preciso que o Nome-do-Pai,  verworfen, foracluído, isto é, jamais advindo no lugar do Outro, seja ali invocado em oposição simbólica ao sujeito...” In: Escritos, p.584.
Temos aqui a primeira formalização teórica da psicose desencadeada.
Lacan constrói uma clínica binária, descontinuísta, baseada na presença (Behajung) ou ausência (Verwerfung) do significante Nome-do-Pai.
Partindo da teoria da foraclusão do Nome-do-Pai, podemos acompanhar o desenvolvimento feito por Lacan no texto “De uma questão preliminar a todo tratamento possível da psicose” (1957-1958), o que acontece depois do desencadeamento e o que pensar nas possíveis estabilizações frente à invasão do grande Outro. A primeira formalização a respeito da psicose em Lacan tem como paradigma o caso Schreber.
Este semestre, o Núcleo de AP pretende se debruçar na leitura do texto “De uma questão preliminar a todo tratamento possível da psicose”, (dez. 1957- jan.1958).
O Núcleo de Pesquisa e Leitura sobre Apresentação de Pacientes e Psicose continua a marcar, com seu ritmo quinzenal, um caminho feito de um constante debruçar sobre a leitura e a pesquisa em psicanálise, na esperança de que questões sobre as Psicoses possam ser trabalhadas.
Os eixos temáticos em torno dos quais giram os textos e a pesquisa são a foraclusão, o desencadeamento, os esquemas R e I, a clínica binária, a clínica atual.
Desejamos aos que chegam agora, aos que estão na CLIPP e aos que  já terminaram seu curso, mas que estão entre nós, um produtivo ano de trabalho.


Bem vindos!
Marizilda Paulino
Perpétua Medrado

As reuniões do Núcleo de Pesquisa e Leitura sobre Apresentação de Pacientes e Psicose acontecem às sextas-feiras, das 16:00 às 17:30 na sede da CLIPP, à Rua Cardoso de Almeida, nº 60, conj. 113.

Programação do 1º semestre
Março
08 – Apresentação do texto: De uma questão preliminar a todo tratamento possível da psicose
22 – Capítulo I. Rumo a Freud
Abril
05 – Capítulo II. Depois de Freud
19 – Feriado
Maio
03 – Capítulo III. Com Freud
17 - Capítulo IV. Do lado de Schreber
31 - Capítulo V. Pós-escrito
Junho
14 – Suplemento topológico a “Uma questão preliminar...” de Jacques-Alain Miller. In: Matemas – Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1996, p.119.
28 - Suplemento topológico a “Uma questão preliminar...” de Jacques-Alain Miller. In: Matemas – Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed.,1996, p. 119.

 

2018 – 2º semestre

 

Núcleo de Pesquisa: Psicanálise e Medicina - 2° semestre/2018

Tema: O diagnóstico na clínica borromeana
Do sintoma ao sinthoma

Desde o primeiro semestre de 2017 nos propomos interrogar o diagnóstico na clinica psicanalítica a partir do último ensino de Lacan. O que significa pensar o diagnóstico na segunda clínica de Lacan, ancorada no enlaçamento entre o real, o simbólico e o imaginário? O que nos orienta?

Ao final de seu ensino Lacan nos aponta que há no humano uma dimensão traumática constituinte e um núcleo de gozo impossível de ser reabsorvido, do qual o sintoma é testemunha. Não existe, portanto, sujeito sem sintoma, sem mal-estar. Essa nova perspectiva remete ao incurável do sintoma e exige uma nova grafia - sinthoma.

Neste ano, seguimos nossa pesquisa interrogando o conceito de sinthoma na obra de Lacan. Como método, percorreremos o Seminário 23: o sinthoma alternando com discussões clínicas.

PROGRAMAÇÃO

14/08 – O inconsciente real
Texto: Miller, J-A. – Perspectivas do Seminário 23 de Lacan: O Sinthoma. Primeira Lição (p. 9-22).
Convidada: Carmen Silvia Cervelatti

28/08 – Seminário 23: O Sinthoma
Texto: Cap. VII De uma falácia que testemunha do real

11/09 – Seminário 23: O Sinthoma
Texto: Cap. VIII Do sentido, do sexo e do real

25/09 – Seminário 23: O Sinthoma
Texto: Cap. IX Do inconsciente ao real

09/10 – Seminário 23: O Sinthoma
Texto: Cap. X A escrita do ego

23/10 – Discussão de caso clínico

06/11 – Seminário 23: O Sinthoma
Texto: Anexos – Joyce, o sintoma – por Jacques Lacan

20/11 – Avaliação e discussão das atividades do ano

BIBLIOGRAFIA
Lacan, J. Seminário livro 22: RSI (1974-75). Seminário inédito.
_______ Seminário livro 23: O Sinthoma (1975-76). Rio de Janeiro: Zahar, 2007.
_______ Joyce, o sintoma. In: Outros Escritos. Rio de Janeiro: Zahar, 2003, p. 560-566.
Miller, J-A. Perspectivas do seminário 23 de Lacan. O Sinthoma. Rio de Janeiro: Zahar, 2009.
________ Ler um sintoma (2008). Disponível in: http://ampblog2006.blogspot.com.br/2011/08/jacques-alain-miller-ler-um-sintoma.html
Affonso, Pedro H. B. – Contribuições à topologia lacaniana. Editora Zogodini, 2016.

Coordenação: Eliane Costa Dias e Niraldo de Oliveira Santos

Periodicidade: Quinzenal, terças-feiras das 20h30 às 22h00
Local: Rua Cardoso de Almeida, 60 cj. 111 Perdizes São Paulo
Informações e inscrições: (11) 3864-7023psicanalise.clipp@terra.com.br

 

NÚCLEO DE PSICANÁLISE E FILOSOFIA: QUESTÕES DE AMOR - DO DESEJO AO GOZO

Psicanálise e Filosofia, conjunção que sugere proximidade, mas não interpenetração, nada de absorção mútua. A Filosofia, por menos que se a defina, surge nas pegadas da humanidade em sua aventura racional, na busca incessante do que seria a verdade. A Psicanálise, saber novo e inquietante, surge no início do século XX numa crise em que a busca de uma verdade totalizante atinge o auge do desencanto. A Psicanálise também busca a verdade em sua relação com o inconsciente, mas essa "é não-toda, porque dizê-la toda não se consegue ... faltam palavras" (Lacan, Televisão). No seminário 19, longa preparação para o seminário 20, Lacan apresenta uma "nova lógica", construída a partir daquilo que não é, a partir da não-relação sexual, ou seja, "nada do que acontece em decorrência da instância da linguagem pode desembocar, de modo algum, na formulação satisfatória da relação" (Lacan, seminário 19). A lógica lacaniana "... passeia pela lógica desde os primórdios do pensamento ocidental (...) até a teoria dos conjuntos. Fazendo uso do quadrado das oposições aristotélico - ... - Lacan cria as fórmulas da sexuação, cria o quadrado da sexuação." (M. Bernadette S. de S. Pitteri, Carta de São Paulo - maio/junho 2012).  
Nesse semestre, debateremos questões relacionadas a Amor e Desejo na contemporaneidade, perguntando se ainda se sustenta a proposta de Lacan no Seminário 20 com a lógica do não-todo.

PROGRAMAÇÃO:

21/08 – Do Desejo ao Amor – Uma passagem pelo BANQUETE de Platão
04/09 - Significante – Fundamento da dimensão do simbólico – Função do Escrito
18/09 – Aristóteles e Freud - A Lógica masculina
02/10 – Lacan e a Lógica Feminina – Lógica do Não-Todo
16/10 – Quadrado das Oposições - Lógica Modal
30/10 – Lógica da Psicanálise - De Aristóteles a Lacan
13/11 – Quadrado da Sexuação – Introdução à teoria dos Gozos 
27/11 - (Des)Conexões - O Gozo Contemporâneo 

COORDENAÇÃO: Maria Bernadette Soares de Sant’Ana Piteri e Paula Christina V. Caio de Carvalho

PERIODICIDADE: Quinzenal, terças-feiras das 12h às 13:30

LOCAL: Rua Cardoso de Almeida, 60 cj. 111  Perdizes  São Paulo

INFORMAÇÕES: 3864-7023 – psicanalise.clipp@terra.com.br
Paula.caio9@gmail.com e m_bernadettep@yahoo.com.br

 

Núcleo de Pesquisas em Psicanálise e Atendimento de Crianças e Adolescentes na CLIPP

Iniciamos nossas atividades deste segundo semestre de 2018, com a proposta de dar continuidade no estudo de temas básicos para pensarmos o trabalho psicanalítico com crianças e adolescentes.

Começamos com uma retomada dos conceitos Ideal do Eu e Eu Ideal, a constituição do campo da realidade; a criança entre o enunciado e a enunciação; extrair o sujeito e criticar a alucinação.

Faremos um exercício, através de um caso, para pensarmos a partir do que temos discutido, considerando em especial o texto “Interpretar a Criança”.

Os interessados em participar do Núcleo devem entrar em contato com as coordenadoras para uma entrevista.

COOORDENAÇÃO:

Celia Maria Betti Siqueira – TEL: (11) 99369-5774
Luciana Carvalho Rabelo – TEL: (11) 98758-8484
Maria Cristina Merlin Felizola – TEL: (15) 99106-9186

DATA: Quinzenal, início dia 10/08/2018
HORÁRIO: 11h30 às 13h00

LOCAL: CLIPP – Rua Cardoso de Almeida, 60 cj. 111- Perdizes
Informações e Inscrições: (11) 3864-7023 ou psicanalise.clipp@terra.com.br

 

Núcleo de Leitura e Pesquisa sobre Apresentação de Pacientes e Psicose 2018 – 2º. semestre

Por que a psicose?

A psicose, paradigma do ensino de Lacan, ajuda a pensar a clínica atual e nos impele a revisitar alguns conceitos.

A partir de textos de Freud, Lacan, Miller, Laurent e outros vamos pesquisar alguns termos e conceitos, tais como: Verwerfung, foraclusão, alucinação, delírio, fenômeno elementar, automatismo mental, neologismo, tendo em vista o novo contexto teórico e clínico no qual a psicanálise se inscreve hoje.

As reuniões serão sempre às sextas-feiras, porém, devido a feriados, à Jornada da EBP-SP e ao Encontro Brasileiro do Campo Freudiano teremos algumas datas em horário diferente do habitual, os dias 05/10 e 09/11 às 11h30.

03/08 – 16h - Seção Clínica de Lille Investigações sobre o início da psicose Entrada na Psicose In: Dias, M. C. B.; Laia, S. (Orgs.). A psicose ordinária: a convenção de Antibes. Belo Horizonte, Scriptum. Belo Horizonte. Scriptum Livros, 2012, p. 77-89.

17/08 – 16h -   Histeria y Psicosis Infanto-Juveniles. In: Maleval, J.-C. (2004). Locuras hystericas y psicosis dissociativas. Buenos Aires: Paidós.

31/08 – 16h - Histeria y Psicosis Infanto-Juveniles. In: Maleval, J.-C. (2004). Locuras hystericas y psicosis dissociativas. Buenos Aires: Paidós.

21/09 – 16h - Os termos: Verwerfung e foraclusão

05/10 – 11h30 - Os termos: alucinação, delírio

09/11 – 11h30 -  Os termos: fenômeno elementar, automatismo mental, neologismo

07/12 – 16h Um caso de escuela - Apresentação de paciente feita por Miller. In: Miller, Jacques-Alain. Embrollos del cuerpo, Buenos Aires: Paidós, 2012, p.221

Quem se interessar em participar do Núcleo deve entrar em contato com a coordenação para uma entrevista.
Aguardamos vocês!

Coordenação: Marizilda Paulino (marizildapaulino@gmail.com
Perpétua Medrado Gonçalves (pmedrado@hotmail.com

Local: Rua Cardoso de Almeida, 60, cj. 113, São Paulo, SP 

 

NÚCLEO DE PESQUISA SOBRE TOXICOMANIA E PSICANÁLISE

Coordenação: Durval Mazzei Nogueira Filho

Tema: “O que a Psicanálise faz aos toxicômanos”

Sábado, dia 18/08/2018, das 9h00 às 11h00  -  Mensal

Local: Sede da CLIPP
Rua Cardoso de Almeida, 60  cj. 111 – Perdizes – SP
Informações e Inscrições: (11)  3864-7023
E-mail: psicanalise.clipp@terra.com.br

 

2018 – 1º semestre

O DIAGNÓSTICO NA CLÍNICA BORROMEANA: DO SINTOMA AO SINTHOMA

Desde o primeiro semestre de 2017 nos propomos interrogar o diagnóstico na clinica psicanalítica a partir do último ensino de Lacan. O que significa pensar o diagnóstico na segunda clínica de Lacan, ancorada no enlaçamento entre o real, o simbólico e o imaginário? O que nos orienta?

Ao final de seu ensino, Lacan nos aponta que há no humano uma dimensão traumática constituinte e um núcleo de gozo impossível de ser reabsorvido, do qual o sintoma é testemunha. Não existe, portanto, sujeito sem sintoma, sem mal-estar. Essa nova perspectiva remete ao incurável do sintoma e exige uma nova grafia - sinthoma.

Neste ano, seguimos nossa pesquisa interrogando o conceito de sinthoma  na obra de Lacan, percorrendo o Seminário 23: O sinthoma.

COOORDENAÇÃO:
Elaine Costa Dias
Niraldo de Oliveira Santos

LOCAL:
Rua Cardoso de Almeida, 60 - cj. 113 - Perdizes
Terças-feiras, das 20:30 às 22:00

INCRIÇÕES:
delreycosta@uol.com.br
niraldosp@uol.com.br

PROGRAMAÇÃO
13/03 – O diagnóstico a partir da lógica borromeana
27/03 – O conceito de sintoma na obra de Lacan
10/04 – Do uso lógico do sinthoma ou Freud com Joyce
24/04 – Do que faz furo no real
08/05 – Do nó como suporte do sujeito
22/05 – Inconsciente Real
05/06 – Joyce e o enigma da raposa
19/06 – Joyce era louco? e Joyce e as falas impostas

Núcleo de Psicanálise e Filosofia.: O Avesso da Psicanálise

Núcleo de Pesquisas em Psicanálise e Atendimento de Crianças e Adolescentes

Iniciamos nossas atividades em 2017, com a proposta de trabalhar alguns conceitos básicos para pensar o trabalho psicanalítico com crianças e adolescentes.

Começamos com o Estádio do Espelho, Narcisismo em Freud e Lacan, Ideal do Eu e Eu Ideal e textos que abordavam o Estádio do Espelho na atualidade.

Em 2018 pretendemos concluir o tópico sobre a constituição subjetiva através dos temas “alienação” e “separação” e continuar esse percurso com alguns pontos sugeridos por Lacan em seu texto “Notas sobre a criança”, tais como: o que as gerações anteriores transmitem à criança? Qual a importância do objeto transicional? Que lugar a criança ocupa no desejo familiar? Por que a criança pode ser colocada como objeto de gozo?

Em conjunto com este trabalho, pretendemos retomar a discussão de casos clínicos, à luz do texto do Miller, “Interpretar a criança”.

Os interessados em participar do Núcleo devem entrar em contato com as coordenadoras para uma entrevista.

DATA: Quinzenal, início dia 23/2/2018.
HORÁRIO: 11h30 às 13h
LOCAL: CLIPP – Sala 111

COOORDENAÇÃO:
Celia Maria B. Siqueira– TEL: 11- 99369-5774
Luciana Carvalho Rabelo – TEL: 11- 98758-8484
Maria Cristina Merlin Felizola – TEL: 15- 99106-9186

2017 – 2º semestre

Núcleo de Leitura e Pesquisa sobre Apresentação de Pacientes

A proposta para o trabalho gira em torno de leituras e pesquisas sobre Apresentação de Pacientes nos eixos:

    - Ensino/Transmissão: como ensinar o que a psicanálise ensina no dispositivo de Apresentação de Pacientes?
    - Clínica: diagnóstico e construção do caso (é possível construir um caso clínico a partir de uma entrevista?)
    - Pesquisa: na atualização da bibliografia, na construção do caso clínico, nos efeitos e consequências, para os participantes, dos casos encaminhados e atendidos pela CLIPP; sobre a Psicose Ordinária: uma casuística.

Periodicidade: às sextas-feiras, quinzenalmente, das 16:00 às 17h30.

Neste semestre, excepcionalmente, não poderemos manter uma real quinzenalidade nos encontros devido ao grande número de feriados, bem como aos muitos eventos do Campo Freudiano em São Paulo e em Buenos Aires.

Assim sendo, refizemos nossa agenda, procurando atender, ao máximo, as condições necessárias para um bom desenvolvimento de nosso estudo e pesquisa.

Quem tiver interesse em participar do Núcleo, pedimos a gentileza de entrar em contato com uma das coordenadoras para uma entrevista.

Coordenação: Marizilda Paulino (marizildapaulino@uol.com.br)
                         Perpétua Medrado Gonçalves (pmedrado@hotmail.com)

Agenda para o 2o. semestre de 2017

Agosto
04/08 Núcleo de AP (na CLIPP)
11/08 Apresentação de Paciente (no Hospital)
25/08 Núcleo de AP (na CLIPP)

Setembro
22/09 Apresentação de Paciente (no Hospital)
29/09 Núcleo de AP (na CLIPP)

Outubro
06/10 Apresentação de Paciente (no Hospital)

Novembro
17/11 Apresentação de Paciente (no Hospital)
17/11 Núcleo de AP (na CLIPP)

Dezembro
08/12 Apresentação de Paciente (no Hospital)
08/12 Núcleo de AP (na CLIPP)

CLIPP – na sede da CLIPP (16:00–17:30)
Hospital – Hospital do Servidor Público Municipal do Estado de São Paulo (13:00-15:00)

2017 – 2º semestre

Núcleo de Pesquisa em Psicanálise e Filosofia

Sistema Filosófico e Paranóia

Núcleo de Pesquisa: Apresentação de Pacientes

Coordenação: Eliane Costa Dias e Perpétua Medrado Gonçalves

Na clínica atual, nos deparamos com novas formas do sintoma: as toxicomanias, os transtornos de ansiedade, os transtornos alimentares, as depressões, as intervenções sobre o corpo. Manifestações sintomáticas para as quais o diagnóstico diferencial neurose/psicose já não é suficiente.

Enquanto a clínica psiquiátrica responde cada vez mais pelos protocolos e pelas classificações padronizadas, a clínica psicanalítica se orienta pelo particular de cada sujeito, sem deixar de se interessar pelo diagnóstico estrutural. Na segunda clínica de Lacan, ancorada no enlaçamento entre o real, o simbólico e o imaginário, o que nos orienta é a relação com o sintoma, o gozo e o corpo.

A proposta do Núcleo de Pesquisa em Apresentação de Pacientes para este ano é pesquisar e trabalhar textos sobre diagnóstico em psicanálise que permitam elucidar a questão: o que se escuta da fala de um sujeito? "Mesmo que o diagnóstico possa ser determinado nos termos mais clássicos, alguma coisa sempre permanece em suspenso quanto ao sentido..."*

Periodicidade: mensal, sextas-feiras das 11h30 às 13h30
Inicio: 21 de agosto de 2015.
Coordenação: Eliane Costa Dias e Perpétua Medrado Gonçalves
* MILLER, Jacques-Alain. Lições sobre a apresentação de doentes. Matemas I. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1996, p. 138-149. 

Núcleo de Pesquisas em Clínica Psicanalítica

Tema: O enigma do desejo da mãe e suas vicissitudes

O objetivo da pesquisa em andamento neste Núcleo consiste em recolher referências teóricas sobre o desejo da mãe, sua importância na constituição subjetiva e discutir sua determinação nas mais diversas estruturas clínicas.

A quem se destina: interessados em participar da pesquisa.
Periodicidade: mensal, sextas-feiras das 16h00 às 17h30.
Data: 21 de agosto de 2015.
Coordenação: Carmen Silvia Cervelatti.

Núcleo de Pesquisa - Psicanálise e Medicina

Tema: A direção do tratamento numa clínica do sinthoma

Desde o primeiro semestre de 2006 esse núcleo vem trabalhando em torno do tema O corpo da Psicanálise”, visando precisar conceitos teóricos que nos permitem abordar as manifestações no corpo identificáveis na prática clínica.
Neste ano, nos propomos fazer uma casuística com discussão de casos clínicos que permitam pensar: a direção do tratamento numa clínica do sinthoma e a construção do caso clínico como principal via de elaboração e transmissão da psicanálise.
Temas de pesquisa em andamento:

A quem se destina: aberto a todos os interessados no tema, mediante entrevista com a coordenação.
Periodicidade: quinzenal, quartas-feiras das 20h30 às 2h00.
Início: 12 de agosto de 2015.
Coordenação: Eliane Costa Dias e Niraldo Oliveira Santos.

Núcleo de Estudo e Pesquisas em Filosofia e Psicanálise

Tema: Desejo em psicanálise: do que estamos falando?

Dali, Salvador: Les Chants de Maldoror: Hamlet (1934)

Objetivo: proporcionar o encontro dos discursos da filosofia e da psicanálise através da apresentação de conceitos e noções dos dois campos de saber em suas especificidades, no sentido de viabilizar discussões e debates; apresentar a utilização da Filosofia por Lacan na construção de seu Ensino, tendo como foco para este ano a leitura do Seminário 6 – O desejo e sua interpretação.
O objetivo do Núcleo é ressaltar a importância do contato com os conceitos e as elaborações teóricas do campo da Filosofia, de modo que o interessado pelo ensino de Lacan reconverse com o campo do saber humano que tem em sua essência o olhar crítico sobre si e sobre o mundo.
Tal proposta tem como pano de fundo trazer a Filosofia para o centro das discussões que desafiam a psicanálise no mundo contemporâneo, reapresentando-a como a arena adequada onde travar novos debates, com um instrumental teórico e prático já elaborados desde tempos ancestrais. Reconvocar, em suma, a velha arena filosófica como o palco das mais desafiadoras discussões contemporâneas.
Metodologia: cursos breves sobre filósofos e suas teorias, contextualizando o tema trabalhado, visando uma contribuição para a psicanálise. 
Leitura concomitante do Seminário 6 – O desejo e sua interpretação (ainda não traduzido). Leitura de textos avulsos sobre filosofia e psicanálise. 
A quem se destina: interessados nos dois campos de saber, com formação superior.
Seleção: envio de currículo e entrevista com a coordenação do núcleo.
Periodicidade: quinzenal, terças-feiras das 13h00 às 14h30.
Início: 04 de agosto de 2015.
Coordenação: Maria Bernadette Soares de Sant´Ana Pitteri e Paula Christina  Verlangieri Caio.


Núcleo de Estudos 'Psicanálise & Toxicomania'

Tema: Há sentido?

Desde 2008 esse núcleo trabalha a construção do discurso analítico sobre a toxicomania. Visa construir conceitos que permitam teorizar e abordar o sujeito a drogas na clínica.
Temas de pesquisa em andamento:

A quem se destina: aberto aos interessados no tema, após entrevista com a coordenação.
Periodicidade: o trabalho acontece mensalmente, aos sábados das 10h00 as 12h00.
Início: 15 de agosto de 2015.
Coordenação: Eliane Lima Guerra Nunes e Durval Mazzei Nogueira Filho.

Voltar ao topo
Designer by Neoware - Criação e Desenvolvimento de Websites e Sistemas - Desafie nossa Criatividade