Scroll to top
  • Tel.: (11) 3864.7023 / 3938.2611

NÚCLEOS DE PESQUISA 2023 – 2º Semestre

NÚCLEOS DE PESQUISA

Local das atividades dos Núcleos de Pesquisas da CLIPP: Rua Cardoso de Almeida, 60, Conj. 111 e 113.
Informações: (11) 3864.7023 ou psicanalise.clipp@gmail.com

2023 – 2º semestre

Local das atividades dos Núcleos de Pesquisas da CLIPP: Rua Cardoso de Almeida, 60, Conj. 111 e 113 ou online de acordo com a coordenação da atividade
Inscrições: (11) 3864.7023 ou psicanalise.clipp@gmail.com

Investimento

  • Quinzenais: R$320,00 (semestralidade) | Mensais: R$160,00 (semestralidade)

Núcleo de Pesquisa: Psicanálise e Medicina – 2° semestre/2023

Os tempos que correm e o mal-estar no i-mundo

Em seu último ensino, Lacan chega à constatação de que RSI são três dimensões da constituição do ser falante, heterogêneas, disjuntas e sem primazia.

Desde o encontro do “pedaço de carne vivo” com o significante, todo sujeito é confrontado com a exigência de encontrar uma saída, uma solução para enlaçar o real do gozo que ex-siste e insiste, a imagem própria e o campo do significante e das significações; achar a melhor solução possível para a tensão entre o gozo e o desejo, numa criação singular que lhe permita ocupar posição na realidade e na existência.

Como operar, na clínica e na política da psicanálise, a partir de uma lógica que articula  corpo/significante/gozo/sinthoma?

Neste segundo semestre, seguimos com a leitura da conferência de Lacan A Terceira (1974), escrito em que, segundo Miller, Lacan renova seu próprio ensino, introduzindo conceitos angulares dessa nova orientação: lalíngua, gozo, topologia do nó borromeano, letra.

  • Coordenação: Eliane Costa Dias e Niraldo de Oliveira Santos
  • Atividade online – via plataforma Zoom. Terças-feiras (mensal), de 20h30 às 22h00
  • Início: 08/08
  • Cronograma
    • 08/08 – O corpo na economia do gozo. P. 35-39.
    • 12/09 – O significante-unidade é a letra. P. 40-48.
    • 10/10 – O nó e as três dimensões. O sintoma e sua interpretação. P. 48-55.
    • 07/11 – Os nós de Lacan.
    • 05/12 – Nada é mais real que a vida. P. 55-62.
Referência básica:
Lacan, J. A terceira / Miller, J-A. Teoria de lalíngua. Rio de Janeiro: Zahar, 2022.

REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

 

BOADA, M. et al. Lecturas de la tercera: los campos del goce. Buenos Aires: Tres Haches, 2019.
LACAN, J. O simbólico, o imaginário e o real [1953]. In: Nomes-do-Pai. Rio de janeiro: Zahar, 2005, p. 09-53.
LAURENT, É. O avesso da biopolítica. Uma escrita para o gozo. Rio de Janeiro: Contra Capa, Ver em particular os capítulos: “Uma lógica de sacos e de cordas” (p. 99-110) e “Gozar a corpo perdido” (111-133).
MILLER, J-A. Comentário sobre A terceira. In: Lacan, J. A terceira / Miller, J-A. Teoria de lalíngua. Rio de Janeiro: Zahar, 2022, p. 63-74.
VIEIRA, M. A. RSI: A trindade infernal de Lacan. Disponível: http://www.litura.com.br/curso_repositorio/rsi___a_trindade_infernal_de_lacan_i_pdf_1.pdf
VIEIRA, M. A. Cogitações sobre o furo. Ágora estudos em Teoria Psicanalítica, Rio de Janeiro, Vol II n. 2, jul-dez 1999, pp. 43-52. Disponível: https://www.litura.com.br/artigo_repositorio/cogitacoes_sobre_o_furo_pdf_1.pdf
VIEIRA, M. A. Os dois corpos da escrita. Latusa Digital, Rio de Janeiro, n. 17, p. 1, 2005. Disponível: http://www.latusa.com.br/pdf_latusa_digital_17_a1.pdf

 NÚCLEO DE PESQUISAS EM PSICANÁLISE E EDUCAÇÃO

A BIOPOLÍTICA, O GOZO E A ESCRITA NO ÚLTIMO ENSINO DE LACAN

Resumo : No segundo semestre de 2023 faremos a apresentação e discussão do livro de Eric Laurent – O Avesso da Biopolítica: uma escrita para o gozo. Será abordado o trauma do corpo sendo atravessado por uma língua anterior à linguagem – a lalíngua. Assim como também a fala que impacta o corpo tornando-o corpo falante e o sujeito um falasser.

Para isso Laurent retoma o momento em que Lacan lida com o conceito de estrutura em sua relação com o simbólico. Antes ele concebia o corpo através do imaginário e do simbólico como um ponto mais exterior. No último ensino de Lacan o corpo surge captado pela incorporação direta do simbólico. Instituindo uma passagem “do sintoma que fala” para o “sintoma que se inscreve”, que não é mais comunicação, mas escrita.

E é através dela que Laurent destaca a importância da letra. Esta não deve ser tomada como a impressão de um traço. Ela se apresenta como um fora de sentido, como uma perturbação no discurso e lida através das entrelinhas. E é nelas que encontramos o íntimo e o indizível.

Fica um convite para explorarmos juntos esse belíssimo livro. Para podermos olhar com outros olhos o que tem acontecido com os sujeitos – falasseres – e seus corpos falantes na sociedade, na educação e nas

escolas.

  • Coordenação: Leny Magalhães Mrech
  • Periodicidade: Quinzenal às 2as feiras das 16:30 às 18:00 horas
  • Data de início:  07 de agosto de 2023
  • Datas:  07 e 21/08 ; 04 e 18/09; 02 e 16/10; 06 e 27/11/2023
Bibliografia:
Eric Laurent, O avesso da biopolítica. Uma escrita para o gozo. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2016.
Jacques Lacan, Radiofonía In Psicoanálisis, Radiofonia & Television. Barcelona, Editorial Anagrama,1977.
Jacques-Alain Miller, El ultimíssimo Lacan, 1a. ed. 1a. reimp. – Buenos Aires: Paidós, 2014.
________________, Perspectivas do Seminário 23 de Lacan. O Sinthoma. Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editora, 2009.
________________, A Terceira de Jacques Lacan e Teoria de Lalíngua.1ª ed. Rio de Janeiro: Ed. Zahar, 2022.

NÚCLEO DE PESQUISA E LEITURA SOBRE APRESENTAÇÃO DE PACIENTES

O diagnóstico nas apresentações de pacientes

No Núcleo de Apresentação de Pacientes e Psicose nesse ano pretendemos seguir nosso estudo e pesquisas sobre as Psicoses, abordando o fenômeno elementar, o delírio, a foraclusão do Nome-do-Pai e suas consequências. O desencadeamento, o fracasso da metáfora paterna, a função do delírio etc., serão nosso guia para pensar o diagnóstico diferencial.

No primeiro ensino de Lacan, o diagnóstico é estrutural, o Nome-do-Pai nos orientava para considerar os sujeitos neuróticos ou psicóticos (com a estrutura neurótica ou psicótica), sendo a psicose definida pela ausência do Nome-do-Pai, pela falta da metáfora paterna.

E hoje, quais índices foraclusivos nos guiariam para fazer um diagnóstico diferencial?

Nosso objetivo é aprofundar as questões suscitadas pelo diagnóstico (clínica estrutural e borromeana), a transferência e a direção do tratamento na psicose, tendo os casos de apresentação de pacientes como guia. Para isto, vamos discutir algumas apresentações de pacientes para articular os efeitos recolhidos nas apresentações, tais como: o diagnóstico, a transferência, as amarrações e invenções, visando uma orientação para o tratamento desses sujeitos.

  • Coordenação: Marizilda Paulino e Perpétua Medrado Gonçalves
  • Atividade presencial com transmissão online via ZOOM, quinzenal às sextas-feiras, das 16h00 às 17h30 · Inscrição: psicanalise.clipp@gmail.com
  • Seleção mediante entrevista com a coordenação
  • Conheça os valores no site www.clipp.org.br
  • Datas:
    • AGOSTO
      • 11 – Caso J.V. AP da CLIPP
      • 25 – Discussão do caso J.V.
    • SETEMBRO
      • 15 – Caso M. AP da CLIPP
      • 22 – Discussão do caso M.
    • Outubro
      • 06 – Caso Sra. Soledo – AP de Lacan
      • 20 – Discussão do caso da Sra. Soledo
    • NOVEMBRO
      • 10 – Encerramento do semestre
      • 24 – Encerramento do semestre
Bibliografia
Campos, Sérgio de. Invenções lacanianas sobre as psicoses, vol. 1 e 2, Belo Horizonte: Topológica, 2022.
Miller, J.-A. e Alberti, C. Apresentação da Sra. Soledo, in Lacan redivivus, Rio de Janeiro: Zahar, 2022.
Miller, J.-A. A invenção do delírio, in Opção Lacaniana online http://www.opcaolacaniana.com.br/antigos/pdf/artigos/JAMDelir.pdf
e na pasta de Textos 2023 no link do Google Drive: https://drive.google.com/drive/folders/1-xIQDrTsMeHYnbRK0xb8pNIUPV78oGPL?usp=sh…
Miller, J.-A. Efeito de retorno à psicose ordinária, in A psicose ordinária, Belo Horizonte: Scriptum Livros, 2012 http://www.opcaolacaniana.com.br/pdf/numero_3/efeito_do_retorno_psicos_e_ordinaria.pdf

NÚCLEO DE PESQUISA EM PSICANÁLISE E TOXICOMANIA>

Compulsão.

Resumo: discussão em torno da presença marcante dessa manifestação na clínica contemporânea.

  • Periodicidade: mensal.
  • Reinício: 26/08
  • Datas: últimos sábados até novembro.
  • Bibliografia: texto “Compulsões”, Durval Mazzei.
  • Coordenação: Durval Mazzei e Angelino Bozzini

NÚCLEO DE PESQUISAS EM PSICANÁLISE E FILOSOFIA

UM PERCURSO PELO ENSINO DE LACAN – DO “HÁ-UM” À “NÃO-RELAÇÃO SEXUAL”

Resumo : “Lacan ensinava a primazia do Outro na ordem da verdade e na do desejo. Aqui (Seminário livro 19) ensina a primazia do Um na dimensão do real. Rejeita o Dois da relação sexual e o da articulação significante.  Rejeita o grande Outro, eixo da dialética do sujeito, e o remete à ficção.  Desvaloriza o desejo e promete o gozo.   Rejeita o Ser, que não passa de semblante.  Aqui, a henologia, doutrina do Um, supera a ontologia, teoria do Ser.  E a ordem simbólica? Não é outra coisa no real senão a iteração do Um.  Donde o abandono dos grafos e das superfícies topológicas em favor dos nós, feitos de rodinhas de barbante que são Uns encadeados.”  Jacques-Alain Miller – contracapa do Seminário Livro 19“ … oi pior”.

  • Coordenação: Maria Bernadette Soares de Sant’Ana Pitteri e Márcia Aparecida Barbeito
    Periodicidade:
    Quinzenal
  • Data de início:14 de agosto de 2023
  • Datas: 14 e 28/08; 11 e 25/09; 09 e 23/10; 13 e 20/11/2023
Bibliografia:
Jacques-Alain Miller, El ultimíssimo Lacan, 1a. ed. 1a. reimp. – Buenos Aires: Paidós, 2014
Lacan, Jacques, 1901 – 1981 – O Seminário, livro 19: … ou pior / Jacques Lacan; texto estabelecido por Jacques-Alain Miller; [tradução Vera Ribeiro]. – Rio de Janeiro: Zahar, 2012.
Jacques-Alain Miller, Los signos del goce / Traducción y Transcripción: Graciela Brodsky
capítulo III – Prefacio al Parmenides
capítulo IV – El Parmenides y la logica del significante
de Rosa, Marcia, 2008 – Um Platão lacaniano, um estudo sobre Parmênides de Platão e o “y a d l’un” de Lacan

Núcleo de Pesquisas em Psicanálise e Atendimento de Crianças e Adolescentes

SUICÍDIO: NÃO SE FALA NISSO…

Neste semestre abordaremos as questões relacionadas ao suicídio de crianças e adolescentes.

De que forma as famílias lidam com tal situação?

Como a psicanálise pode contribuir para esta questão?

Para nossa surpresa, ao pesquisar o assunto, tomamos conhecimento de estatísticas que demonstraram um aumento significativo, neste século, das taxas de suicídios em geral, mas especialmente na infância e adolescência.

Inicialmente faremos um breve levantamento das iniciativas propostas pela sociedade: setembro amarelo, palestras em escola para professores e alunos, CVV, documentários e filmes que envolvem a questão.

Frente à desorientação da nossa época, onde o simbólico não rege mais, aparecem indivíduos que diante do insuportável, acabam se colocando em risco. De que tipos de riscos estamos falando?

As atitudes propostas para prevenir o suicídio levam em conta que, o desejo das crianças e adolescentes nestes casos, é o desejo de morte, porém a psicanálise não padroniza o desejo, pois ele é de cada sujeito.

Então, qual o significado da tentativa de suicídio para cada um? É possível prevenir o suicídio?

Suicídio:

Não se fala nisso.

Não se fala nisso!!

Não se fala nisso??

Sim, vamos falar disso!!

Os interessados em participar do Núcleo devem entrar em contato com uma das coordenadoras para agendar uma entrevista.

  • Periodicidade: Quinzenal, terças feiras – das 20h30 às 22h – online
  • Informações: Na CLIPP – Tel: 3864.7023, com Dolores. Rua Cardoso de Almeida, 60 – Cj. 111 – Perdizes – São Paulo
  • Coordenação: Célia M. B. Siqueira, Luciana Carvalho Rabelo e  Maria Cristina Merlin Felizola
  • Programação:
    • 15/08: “Indagações em torno do suicídio”
    • 29/08: Cutting
    • 05/09: Passagem ao ato x acting out x ato
    • 19/09: De que tipo de ato se trata no suicídio?
    • 03/10: Adolescência e suicídio
    • 17/10: Infância: “Acidentes?”
    • 07/11: Convidado
    • 21/11: Avaliação
Bibliografia:
Musso, Grego, Débora Carvalho, Nádia Regiane (org). Ponto Final: Indagações sobre a questão do suicídio. EBP
Lacan, J. (2005). O Seminário Livro 10: A Angústia. Rio de Janeiro: Zahar.